No Bico do Corvo
Sem críticas

Esta coluna é aberta a todos. Fomentar a opinião dos leitores acerca dos fatos cotidianos é um dos objetivos deste espaço, mesmo que ele ás vezes seja um tanto reduzido. Em tempos de pandemia e erupções políticas é natural que algumas pessoas questionem notas publicadas aqui e isso é muito bom. 

Naturalidade
A democracia é assim. Este humilde colunista destaca que tem sido incomum, mas também recebe mensagens anônimas, agressivas, raivosas, em razão de comentários próprios e de conteúdos que são enviados e assinados por terceiros. Ai que medo! Coisa feia policiarem o pensamento, acreditando que todos devem pensar do mesmo jeito. “Keep calm”.

Bolsonaro
Não há como só elogiar o que o atual governo faz, pelo contrário, a cada momento, em Brasília, há um acontecimento polêmico, estranho, e os leitores, contextualizam. Fanáticos e apoiadores precisam se conter; no lugar de ofensas, podem escrever, dissertar, expor o contraditório. Não há pecado em analisar o comportamento de um presidente, porque isso não é julgamento. Presidentes, governadores, prefeitos, enfim, os políticos se sujeitam à cargos executivos, sabendo que se vencerem as eleições, se converterão em agentes públicos. Quem ainda não sabe, está na hora de aprender. Sentou lá amigo, na cadeira de gerente, precisa se esforçar para acertar, porque se errar, vai mexer com a população, com o contribuinte, logo, a crítica acontecerá. 

Fórmula do sucesso
No Brasil o sucesso de uns é motivo de ofensas para outros. Mas quando isso acontece no meio político, o envolvimento é bem maior, é coletivo. Errou, dançou, acertou ganha aplausos, até dos adversários. É tudo muito simples e com respeito, é bem melhor.   

Cartilha
Circula nas redes sociais uma cartilha do 4º ano, elaborada nas escolas municipais de Foz, onde o prefeito Chico Brasileiro é parte das lições dissertativas. Aparece um texto sobre ele, copiado do Wikipedia, explicando o que é uma “biografia” ou “autobiografia”; na sequência, há um questionário para os alunos exercitarem, preenchendo os campos em branco. Eles devem matutar ao que aprenderam sobre o chefe do executivo municipal. Claro, isso rendeu o maior “climão” entre opositores e apoiadores. 

Biografia
Muito provavelmente alguém elaborou o exercício acreditando que faria algo bom, e, deixaria o chefe feliz. Poderiam ter usado uma figura histórica, um Santos Dumont, ou outro personagem, desta forma a lição teria dupla finalidade. Desperdiçaram a oportunidade e isso pode acabar sobrando para o prefeito, porque em tempos eleitorais, acontece de tudo. 

Defesa
As pessoas que apoiam a iniciativa, ou tentam livrá-la da guilhotina jurídica, dizem que é normal trabalharem as biografias dos “nossos prefeitos” e que isso está em acordo e resguardado no BNCC – Base Nacional Comum Curricular, e no objetivo de aprendizado EF04GE03, que visa distinguir funções no poder público, Câmara, Prefeitura, etc. 

Lembrança do Corvo
O Corvo lembra de cartilhas assim, muito comuns nas aulas de OSPB – Organização Social Política Brasileira, quando os alunos sabiam mais sobre os presidentes, sobretudo nos governos militares. Mas Fidel Castro, Mao Tsé-Tung, Stalin, Alfredo Stroessner, esses carinhas também apareciam nas cartilhas, poemas, odes aos líderes, e em outras desnecessidades. Taí mais uma pro Chico se preparar ao enfrentar os debates.

Falar em Chico...
Nosso prefeito assinou a Portaria 70.211 de 15 de junho (2020), que altera as Portarias nos 63.276, de 31 de julho de 2017; 65.339 e 65.340, ambas de 18 de junho de 2018, que tratam de nomeação para cargo de provimento em comissão ASS-1. Passa a vigorar a seguinte redação: onde se lê: “[...] com gratificação por representação de gabinete, no percentual de 60% (sessenta por cento) [...]”; Leia-se: “[...] com gratificação por representação de gabinete no percentual do limite máximo, conforme disposto no art. 8º da Lei Complementar número 97/2005, alterada pela Lei Complementar número 202/2013 [...]” (NR). 


Em épocas de pandemia...
... a população sente um vazio monetário; falta um pouco de tudo e as contas se acumulam. No país, até os ricos estão sentindo o aperto, porque há compromissos com empregados, serviços e tudo o mais que ouvimos falar e assistimos, sem contar que as ajudas, financiamentos, estão emperrando na burocracia. Logo, o funcionalismo não sofreu limitações; no Legislativo, Executivo e Judiciário os salários estão sendo pagos em dia, e, num momento assim, falam em permitir o aumento de verbas de representação? Pelo mínimo que isso represente, por pegar bem para os servidores, mas para a população, aí são outros quinhentos. 

Congelamento
Se este Corvo não se engana, proclamaram uma Lei federal no final de maio, congelando tudo; o país se converteu num freezer quando o assunto é aumento ao funcionalismo, por causa da pandemia e pior agora, às portas de uma eleição. Pode haver substituições, exonerações, nomeações, mas sem a incidência nos valores. No caso, Chico está aumentando o percentual de gratificações de servidores já nomeados e isso pode? 

69,6%
Foi a nota que a prefeitura recebeu no ranking de transparência no combate ao coronavírus. Saiu inclusive com destaque na capa do GDia desta quarta-feira. O resultado é considerado “bom”. O Corvo acessou o tal ranking e constatou que o Paraná aparece em 4º Lugar, entre os Estados considerados “ótimos”. Se o estado é “ótimo” em transparência, como o município de Foz é apenas “bom”? Nos tempos de piá, se o Corvo aparecia com uma nota abaixo de 7 no boletim, o corvão pai puxava a orelha. 

Entrega de mercadorias
A notícia animou quem faz compras no Paraguai. O cidadão compra na internet e o motoqueiro faz a entrega? Pode não ser simples assim. O entregador deixará a mercadoria na zona primária e depois ela seguirá até o destinatário, possivelmente por um entregador do lado brasileiro. Aqui entre nós, isso já é um avanço. Mas, isso depende do olhar perseverante e rigoroso do presidente Marito Abdo, pois é ele que dirá sim, ou não. Sempre há um “mas”, se o assunto é abrir as porteiras para o Brasil, como o covi-19 comendo solto. 

142%
Junho tem sido terrível em matéria de disseminação do coronavírus em Foz do Iguaçu e olha estamos um pouco além da metade do mês. Até ontem, em apenas 17 dias, quase 50% dos iguaçuenses pegaram o bichinho medonho e com taxas diárias elevadíssimas para uma cidade que vinha apresentando 3, 4, no máximo 5 positivos ao dia. Difícil passar até uma mosca pela Ponte da Amizade, e, condições assim. 

E eu? 
Corvo, peço o anonimato para não prejudicar as pessoas, mais do que já estão prejudicadas com o covid-19. Mas o fato é que meu marido testou positivo e pediram para ele voltar para casa, onde ficará em observação. Ficamos muito chocados, porque foi necessária uma lista de providências, como levar a minha mãe para morar em outro lugar. Mas eu perguntei: e não fazer um teste em mim, nos meus filhos, na minha mãe? E disseram: não, se vocês apresentarem os sintomas nós faremos. Puxa vida! Se a doença é tão contagiosa, porque não testam logo, assim ficamos mais tranquilos? É o fim! Veja isso Corvo. 
L.P.N (A leitora pediu para não ter o nome revelado)

O Corvo responde: o que acontece é que o Brasil testa muito pouco e taí o resultado, faltam leitos e espaço para túmulos, algo difícil de conviver. O Corvo pesquisou e em outros países, testam todos na família e prováveis contatos, daí dominam o perímetro. Em nosso país, o que há é uma grande esculhambação, sem controle algum. Ficam aí com barreiras sanitárias e outras medidas para inglês ver, literalmente. Só mesmo uma fiscalização intensiva e testagem, isso faz um cerco no covid-19.

Cerco aos desobedientes
Ontem a prefeitura expediu uma nota informando que as equipes de fiscalização constaram quatro pessoas diagnosticadas em descumprimento de isolamento. Podem escrever que o número é muito maior e é assim que a população vai se tornando vulnerável.  

Acompanhamento psicológico
A Câmara quer saber do acompanhamento aos GMs, mas é evidente que durante a pandemia, o mundo todo vai precisar de um psicólogo ou psiquiatra até retomar a vida. E os profissionais da área de saúde? Contaram para o Corvo que o índice de contaminação entre os servidores do setor é muito alto. 

Deu a louca...
... na polícia. O que assistimos de espancamentos e truculência policial de uns dias para cá, é de apavorar. O que será está acontecendo com os nossos guardiões da ordem e da paz? O cassetete está comendo solto no lombo de uma porção de inocentes. Se a cada ato agressivo, prefeituras e governos afastarem os envolvidos, logo não haverá tropa para garantir a segurança. 

Medo
Prezado Corvo, pedi para a minha filha escrever esta cartinha. Mas o fato é que tenho muito medo de tudo o que está acontecendo, porque as pessoas perdem os empregos e falta comida em muitos lares. Já sei de famílias que estão vivendo da ajuda de vizinhos. Começou com um, depois com outro e na minha rua já temos cinco casas assim, enfrentando privações. A ajuda do governo não é suficiente e vejo as pessoas saindo atrás de oportunidades, se expondo, meio desistindo de se cuidar. E quando a gente liga a televisão, sói vem aglomeração, desobediência e encrenca política. Tá difícil Corvo, Desculpe o meu desabafo. 
Lucimara G. Antunes

O Corvo responde: prezada, é assim mesmo, as pessoas temem o pior. Selecionamos a sua nota entre várias com o mesmo teor. Não desista des se cuidar, se proteja e oriente a família a manter as regras, usando máscaras, lavando as mãos e praticando o distanciamento. Isso já ajuda bastante.