Rodrigo Duarte
O ISOLAMENTO SOCIAL COM OS DIAS CONTADOS

Mortes têm diminuído em Nova Iorque, França e Itália

Neste domingo, o Governador do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, anunciou à imprensa que, nas últimas 24 horas, foram registradas apenas 507 novas mortes pelo coronavírus (no dia anterior, haviam sido 540). Não se pode esquecer que o Estado foi o primeiro a decretar emergência sanitária nos EUA, fazendo com que  Trump passasse a levar a sério a crescente pandemia. 
Hoje, entretanto, já se acredita que o pico da epidemia já passou e a  tendência é que diminua gradativamente.
O mesmo tem sido percebido na França (onde já morreram perto de 20.000 pessoas infectadas pelo Covid-19). Nas últimas 24 horas, há menos 29 pessoas hospitalizadas em estado grave e 89 leitos de UTI foram liberados. Registram-se quedas diárias no número de mortes: ontem foram 227, anteontem ainda eram 364.
Para o governo francês, a pandemia será considerável “administrável” a partir de que os atuais 5.774 leitos de UTI baixem para 5.000. Estima-se que tal meta será alcançada nos próximos dias.
Na Itália, o mesmo padrão positivo se repete: de sábado para hoje (domingo) morreram apenas 433 pessoas infectadas. Além disso, o número de indivíduos contaminados em leitos de UTI caiu pelo 16º dia consecutivo.
Chega-se à conclusão de que o isolamento social era e, ao que tudo indica, ainda é, medida necessária à reversão do quadro pandêmico... países que o adotaram, ainda que em prejuízo de suas economias, não estão arrependidos de tê-lo feito.

NO BRASIL
Animados por tais perspectivas, apoiadores de Jair Bolsonaro promoveram nessa manhã de domingo, em Brasília, carreata contra as medidas de isolamento social impostas por e Prefeitos e Governadores (em particular Dória e Witzel, considerados “inimigos da causa bolsonarista”).
Aqui em Foz do Iguaçu, o Prefeito Chico Brasileiro já se posicionou – sem direito a novos recuos – encampar a liberação total do comércio, adotando, apenas, algumas medidas sanitárias.
E, a não ser que o Poder Judiciário seja instado a intervir (digamos, provocado pelo Ministério Público Estadual) a vida deve voltar ao normal em Foz do Iguaçu, portanto, a partir de 4ª feira, dia seguinte ao feriado de Tiradentes. 
Na quarta-feira – ou, no mais tardar, até o fim dessa semana - saberemos o que pensa o Ministério Público a respeito.
Rodrigo Duarte, Advogado e Iconoclasta“
e-mail: [email protected]