Rodrigo Duarte
O GRANDE APOSTADOR

Rodrigo Duarte

Demorei, mas cheguei à conclusão de que o Presidente é um homem que vive de apostas.

Nada mais justo, afinal, foram as apostas que o levaram à Presidência da República.
Ainda quando Deputado Federal, se deu bem em apostar que a gigantesca massa de Militares das 3 Forças Armadas concentrados no Estado do Rio de Janeiro lhe garantiriam reeleições eternas. Também se deu bem quando apostava que, sendo mero integrante do "baixo clero", não seria punido ao propagandear o fechamento do próprio Congresso do qual fazia parte.

Se deu bem ao investir no antagonismo com o então Deputado Jean Willys. O episódio da cusparada lhe rendeu infinitos episódios de visibilidade na Imprensa,  permitindo-lhe ainda encarnar, junto à população, o crescente sentimento anti-esquerdista. 

Como candidato à Presidência, deu-se bem em apostar numa sigla nanica, o PSL, como berçário de sua candidatura. Elegeu-se a si e a dezenas de outros que pegaram carona na legenda que, até então, controlava ao seu bel prazer. 
A aposta nas mídias sociais, que bombardeavam elogios à sua pessoa e distribuíam fake news contras seus adversários, revelou-se a tática mais certeira. E, para completar, ausentou-se dos debates televisivos, apostando - corretamente -  nos dividendos emocionais decorrentes da facada que levou.

O problema é que, já como Presidente da República, continua apostando...
Tem apostado na política de isolamento internacional conduzida por Donald Trump. Nada indica, porém, que os EUA, cada vez mais arrogantes, concederão ao Brasil ou aos brasileiros qualquer regalia comercial ou alfandegária em razão disso.
Tem apostado - altíssimo - no Ministro Paulo Guedes e suas ideias para a recuperação da economia. Todavia o dólar parece descontrolado, o desemprego não está recuando, desde sua posse os combustíveis subiram mais de 15%, e o PIB... ridículo.

Tem apostado em dispensar uma base parlamentar sólida; ao contrário, se esforça em demonizar o Poder Legislativo. Como resposta, muitas das Medidas Provisórias que editou tem sido derrubadas, assim como muito dos vetos presidenciais. A má-vontade do "Centrão" se torna mais evidente a cada dia, assim como não consegue emplacar, por inteiro, as reformas alardeadas no início de seu governo (a "Reforma da Previdência" foi aprovada pela metade, e o "Pacote Anti-Crime" de Moro foi claramente deformado pelo Congresso).
Aposta que, com suas bravatas, os Congressistas recuarão em sua fome de verbas e participação no Governo. Entretanto, a aprovação de emendas impositivas ditadas por bancadas partidárias está aí para provar o contrário. 
A aposta, agora, é jogar a população contra o Congresso. 

Meu palpite? 
Creio que a população até sairá às ruas no dia 15.
Mas creio, também, que tal aposta lhe sairá MUITO CARO. E a conta (por mais esse desatino) será cobrada, dia a dia, até o final de seu mandato. E com JUROS EXTORSIVOS.

Rodrigo Duarte, Advogado e Iconoclasta
e-mail: [email protected]