Silva e Luna diz que vai conciliar interesses de acionistas e da sociedade


- Por: Redação 1

Silva e Luna diz que vai conciliar interesses de acionistas e da sociedade
Silva e Luna tomou posse como presidente da Petrobras nesta segunda-feira

O general Joaquim Silva e Luna, ex-diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, tomou posse como presidente da Petrobras nesta segunda-feira, 19, na sede da empresa, no Rio de Janeiro. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participou da solenidade, que foi reservada, mas transmitida ao público pela página da Petrobras na Internet.
Em breve discurso, Silva e Luna agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro pela indicação e disse que não medirá esforços para fazer da Petrobras uma empresa ainda mais forte, "trabalhando com visão de futuro, com segurança, respeito ao meio ambiente, aos acionistas e à sociedade em geral, de forma a garantir o maior retorno possível ao capital empregado".
“Coloco meu senso de responsabilidade e toda minha energia nessa desafiadora missão. A meta é fazer uma gestão unificada, em equipe, para buscar as melhores entregas”, afirmou Silva e Luna. Segundo ele, o próprio planejamento estratégico da empresa já sinaliza a superação desses desafios.
O Plano Estratégico Petrobras 2030 prevê que a empresa vai atuar na indústria de petróleo e gás de forma "ética, segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, fornecendo produtos adequados às necessidades dos clientes e contribuindo para o desenvolvimento do Brasil e dos países onde atua”.
O novo presidente também se comprometeu, antes de tomar qualquer decisão, a ouvir seus conselheiros, diretores, corpo funcional e agências reguladoras. A exemplo de sua atuação na usina de Itaipu, pretende que sua gestão seja transparente para a sociedade em geral. A comunicação de cada ato da empresa será "antecipatória no que for possível", afirmou. Para ele, a informação da Petrobras ao público "deve ser assentada em informações consistentes e sempre baseada em dados e fatos". 
Silva e Luna disse, ainda, que a empresa terá como um dos focos "a "redução da dívida, investindo em pesquisa e desenvolvimento", além de buscar "a eficiência no que tange ao orçamento, gestão de portfólio, meio ambiente, tecnologia, gestão de pessoas e processos, entre tantos outros".

Da redação com assessorias
Foto: Reprodução/YouTube

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas