Receita Federal destrói em Foz 20 mil garrafas de bebidas alcoólicas


- Por: Redação 1

Receita Federal destrói em Foz 20 mil garrafas de bebidas alcoólicas
Nos últimos meses as forças de segurança notaram um grande aumento na importação clandestina de bebidas, especialmente de vinho argentino

A Alfândega da Receita Federal do Brasil em Foz do Iguaçu destruiu 20 mil garrafas de bebidas alcoólicas em uma grande operação, na manhã desta quarta-feira (24). O produto foi trazido de Santa Catarina sob forte escolta policial. O objetivo da ação foi liberar espaço nos depósitos da RFB por meio da destinação sustentável do líquido. Todo o trabalho contou com o apoio da Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe), que auxilia com os custos da destruição. 

A carga, avaliada em R$ 2,5 milhões foi removida da cidade de Dionísio Cerqueira para a fronteira com o Paraguai com o auxílio de cinco caminhões, um micro-ônibus e um automóvel. O grande volume de garrafas é resultado de diversas apreensões realizadas na cidade catarinense pela Receita Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e outros órgãos de segurança. 
Nos últimos meses as forças de segurança notaram um grande aumento na importação clandestina de bebidas, especialmente de vinho argentino. Frente a isso, houve necessidade de reforço nas fiscalizações em portos clandestinos e outros locais usados para a passagem ilegal desses produtos de um país a outro. Consequentemente, o volume de apreensões disparou. 

“O descaminho de bebidas é uma atividade altamente lucrativa e que grandes quadrilhas se dedicam a essa prática criminosa. Para terem efetividade em sua logística, essas quadrilhas praticam uma série de ilícitos como roubo, furto, adulteração de veículos, corrupção de menores, falsidade ideológica e outras fraudes. A Receita Federal tem buscado integração com os demais órgãos policiais de forma a garantir um controle mais efetivo das fronteiras”, explicou o delegado da RFB em Dionísio Cequeira, Mark Tollemache. 

Da redação 
Foto: Receita Federal 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas