Operadora de Foz inova na forma de vender turismo


- Por: Redação 1

Operadora de Foz inova na forma de vender turismo
Setor turístico de Foz do Iguaçu foi um dos mais afetados pela crise provocada pela pandemia da covid-19

Há 1 ano o turismo no Brasil tenta sobreviver. Com a mobilidade de pessoas reduzida devido à pandemia da covd-19, milhares de pessoas vêm cancelando ou adiando suas viagens para os próximos meses. O resultado é um encolhimento do setor referente a um terço do seu tamanho antes de março de 2020. Acumulando um prejuízo de R$ 65,5 bilhões de acordo com um levantamento realizado pela Fecomércio/SP. 

E o que é preciso fazer para tentar movimentar a economia neste momento de recessão? Muitas fecharam, outras faliram. As que têm verba para marketing estão sobrevivendo "pedalando". Funciona assim: Você compra agora e pode viajar quando puder. É a forma que encontraram de pagar as contas.  O HURB, por exemplo, está oferecendo promoções de pacotes turísticos para serem usados em 2022 ou 2023.

Com essa estratégia, investindo muito dinheiro em plataformas de anúncios, o HURB se tornou um dos 15 ecommerces que mais crescem na crise. "Temos negociação direta e indireta com mais de 500 mil hotéis, em um motor de reserva avançado e interligado”,  conta o diretor de Marketing, Allan Baptista, em entrevista ao Portal Panrotas. 

Se as grandes empresas seguem pedalando os seus lucros e reinvestindo em campanhas publicitárias para se sobressair na crise, você pode imaginar como anda uma empresa pequena, as operadoras, agências e receptivos locais. A crise aqui é mais profunda. 

Para se destacar nesse setor, a Loumar, de Foz do Iguaçu, montou uma estratégia que começou por montar a sua própria audiência e estudar profundamente a jornada de seus clientes, implementando também estudos que fez nas experiências de outros países que estão sofrendo com a pandemia.

"A realidade de uma operadora local é bem diferente das grandes On Line Travel Agencies (OTAs). Temos um orçamento curto para otimizar e entregar resultado, então temos que inovar e apostar que nossas inovações deem resultado", comenta Marcelo Valente, diretor da Loumar. 

Da assessoria / Foto: Rafael Guimarães

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas