Abertura da Ponte pode provocar colapso na saúde de Foz, alerta MP


- Por: Redação 1

Abertura da Ponte pode provocar colapso na saúde de Foz, alerta MP
Abertura da ponte com o Paraguai pode gerar colapso do sistema de saúde de Foz do Iguaçu

A possibilidade de abertura da Ponte Internacional da Amizade, em fase adiantada de articulações entre os governos do Brasil e Paraguai, pode colapsar o sistema de saúde de Foz do Iguaçu, em especial na ala de atendimento aos pacientes com Covid-19, doença do novo Coronavírus. O alerta é do promotor do Ministério Público (MP), Luís Marcelo Mafra. O prefeito Chico Brasileiro disse que aguarda, do país vizinho, um plano sanitário de contemple os cuidados preventivos e assistências em relação a infecção.

O governo paraguaio aprovou, na terça-feira (22), um protocolo sanitário apresentado pelas autoridades de saúde do Departamento de Alto Paraná, que tem Ciudad del Este como capital. A estimativa, segundo a diretora de Migração, Ángeles Arriola, é que as fronteiras possam ser reabertas após o dia 26, quando termina o fechamento determinado pelo Brasil. Falta apenas um "acordo" entre os presidentes dos países, disse.

De a acordo com o promotor do MP, é preciso um controle rígido na Ponte da Amizade, para se evitar o colapso na saúde de Foz do Iguaçu. "Precisamos tratar isso de uma forma muito responsável, para que não paguemos o preço alto por um eventual descompasso na saúde” alertou Mafra.

O Promotor do Ministério Público em Foz, Dr. Luis Marcelo Mafra, mostrou-se preocupado com a reabertura da Ponte da Amizade, anunciada pelo Paraguai para a próxima terça-feira, 29. Mafra teme que, se não houver um protocolo rígido de segurança sanitária, a saúde de Foz do Iguaçu entre em colapso.

"Eu alertei nesta manhã (quarta-feira, 23), ao grupo de enfrentamento à Covid-19 em Foz do Iguaçu que necessitaremos de um rígido controle para o ingresso de brasileiros que estejam no Paraguai", alertou o promotor. A medida, de acordo com ele, vale mesmo aos paraguaios, "que estejam em território nacional", disse.

"A duras penas nós ainda não vivenciamos um colapso na saúde de Foz do Iguaçu", ressaltou Mafra. O gestor (prefeito Chico Brasileiro), ao longo de todos esses meses, foi criando novos leitos e com isso garantiu que todos os pacientes pudessem ser atendidos, tanto no Hospital Municipal Germano Lauck, com apoio extremamente decisivo do Hospital Costa Cavalcanti. 

"Não sou contra a abertura da ponte, no entanto, se esses protocolos não forem seguidos, isso tudo pode se perder", prospectou Mafra. O Ministério Público, adiantou ele, está alertando todas as autoridades responsáveis. 

“Estou provocando todas as autoridades responsáveis, talvez o governo central desconheça esse fato específico, mas precisamos tratar isso de uma forma muito responsável para que não paguemos o preço alto por um eventual descompasso na saúde", completou.

"Só com protocolo"
O prefeito Chico Brasileiro comentou o alerta do promotor Mafra, durante sua entrevista na série com candidatos a prefeito de Foz do Iguaçu que está sendo realizada pela Rádio Cultura. De acordo com ele, por se tratar de um assunto da esfera federal, não procurou o Ministério Público local para tratar da questão.

"Participei de duas videoconferências com as autoridades paraguaias e inclusive amanhã (hoje) devo ter uma reunião com o doutor Mafra e vou dar os informes do que estamos acompanhando", adiantou. Brasileiro informou que tem apontado, nas reuniões via vídeo, que a posição de Foz do Iguaçu sobre a abertura é apenas quando o Paraguai apresentar um plano sanitário que contemple cuidados preventivos e assistências da Covid-19.

Ronildo Pimentel
Foto: Micky Avalos / Ahoracde

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas