Bolsonaro dá largada em Foz à revitalização do sistema de Furnas, com recursos de Itaipu


- Por: Redação 1

Bolsonaro dá largada em Foz à revitalização do sistema de Furnas, com recursos de Itaipu
A subestação de Furnas em Foz do Iguaçu

Depois de 36 anos, o sistema de Corrente Contínua de Alta Tensão (HVDC) de Furnas, que transmite ao mercado brasileiro a energia produzida pela usina de Itaipu, especialmente para a região Sudeste, será revitalizado. O anúncio oficial será feito pelo presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (25), às 10h30, numa cerimônia na subestação de Furnas, em Foz do Iguaçu (PR), com a presença do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e de várias autoridades do setor elétrico e convidados.  

O investimento é de cerca de R$ 1 bilhão. O aporte será feito pela margem brasileira da usina ao longo dos próximos cinco anos. Esse valor se soma aos mais de R$ 1,5 bilhão, num total de R$ 2,5 bilhões investidos pela gestão do general Joaquim Silva e Luna, há dois anos à frente da diretoria-geral da empresa (margem brasileira), em obras estruturantes. 

A modernização contempla a substituição completa dos principais componentes do Bipolo 1, nas subestações de Foz do Iguaçu e Ibiúna, além dos sistemas de supervisão, proteção e controle dos Bipolos 1 e 2. 

A revitalização é considerada estratégica para ambos os países, tanto pela garantia de acesso ao mercado brasileiro (para o Paraguai) como pela segurança energética. O Paraguai tem direito a 50% da produção de Itaipu, mas com 15% já supre cerca de 90% de seu consumo de energia. O excedente de produção não utilizado pelo país vizinho é contrato pelo Brasil. A energia total de Itaipu abastece em torno de 14% de toda a demanda brasileira.

Desde que começou a operar, o sistema HVDC, considerado pioneiro na América Latina, não recebia reforma de grande porte. Por ele passaram 1,18 bilhão de megawatts/hora (MWh) dos mais de 2,7 bilhões MWh produzidos pela Itaipu desde 1984 (43% do total). O sistema se estende por 800 km, entre Foz do Iguaçu (PR) e Ibiúna (SP).

Imprensa de Itaipu / Foto: Arquivo/Furnas

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas