Idgar Dias Júnior
Idgar Dias Júnior
Sinal amarelo

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, terça-feira, dia 16 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia do Repórter’;
- Também hoje a gente comemoraria a ‘Terça-Feira de Carnaval’, né? Só que em 2021, não..!

Sinal amarelo
O preço dos combustíveis está alto e subindo por conta do dólar que também está alto e com viés de alta, tá certo? Para quem já ouviu falar em ‘tempestade perfeita’ e tem que pagar R$ 105,00 (cento e cinco reais) num botijão de gás, os sinais são claros. Até porque todos sabemos que cachorro que foi mordido por cobra tem medo de linguiça, né?

Todo cuidado é pouco
Os números que as notícias trazem acerca da pandemia da Covid-19 não deixam outra alternativa a todos nós: precisamos redobrar nossos cuidados.
O número de testes cujos resultados deram positivo para o coronavírus nas farmácias nunca foi tão alto como agora; o número da média móvel de mortes na pandemia desde a semana que passou já é o maior desde que tudo começou.
Pior: ninguém sabe como estão as negociações para aquisição de vacinas, ou seja, não é possível aos brasileiros quando ou se serão vacinados ainda em 2021.

Todo cuidado é pouco (2)
Tem mais, leitor: há cidades no interior de São Paulo cujos prefeitos decidiram pelo ‘lockdown’ ainda na semana que passou. Em Minas Gerais tem prefeito implorando por cilindros de oxigênio para que possa tratar de pacientes internados em estado grave.
Como dito por muitos especialistas que andaram ‘pregando no deserto’, o que aconteceu no final de 2020 e início de 2021 em Manaus talvez esteja se repetindo Brasil afora. Chapecó-SC que o diga.

Todo cuidado é pouco (3)
Vamos insistir: lave as mãos sempre que puder, use álcool gel sempre que puder, use máscara sempre que puder e evite aglomerações o quanto puder! Porque desde que começaram a chegar as vacinas, o Brasil imunizou cerca de 4% de sua população. Uma mixaria. Somente podemos contar com a sorte e cuidados pessoais para não sucumbirmos à pandemia da Covid-19, leitor.

Até breve
Caríssimo leitor, esta coluna vai dar um tempo, ok? Há toda uma reestruturação em andamento agora, o que é normalíssimo, que atende aos ditames destes tempos de pandemia.
Se olhar direitinho, verá que os grandes veículos de imprensa estão se reformulando desde o advento da era digital, e não é por outra razão que as grandes revistas semanais de circulação nacional no País agora são muitíssimo mais acessadas na internet (e as bancas de jornais e revistas vão desaparecendo a ponto de quase não serem mais notadas).
Bem, com o nosso periódico não seria diferente e nós também vamos seguir essa tendência. É preciso, portanto, que adaptemos o nosso ‘modus operandi’ aos novos tempos, com a atenção voltada sempre para a informação, nosso dever, e o desejo de atender a quem sempre nos prestigiou, prestigia e prestigiará: você, leitor.
Agradeço a todos – leitores e parceiros da Gazeta - pela oportunidade, pela atenção, pelo carinho, pela parceria agregadora, profícua e aprimoradora.
E a você que desejar nos prestigiar com sua companhia informo que estaremos na internet informando com a mesma disposição e energia de sempre, ok?
Um forte abraço e, quem sabe, até breve!

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Boa semana

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, segunda-feira, dia 15 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia Internacional de Luta Contra o Câncer Infantil’;
- Nesta data, em 2005, foi lançado na internet o YouTube.

Boa semana, leitor! Até amanhã.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Eu, nós e eles nas redes sociais

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, sexta-feira, dia 12 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia de Darwin’, pelo nascimento, em 1809, de Charles Darwin – o célebre naturalista que ficou conhecido por sua teoria da evolução das espécies. Dada a sua atuação na ciência, a data de hoje é comemorada mundialmente com o objetivo de promover a área científica;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Mundial de Oração pelo Autista’;
- A data também é de celebração do ‘Dia do Ano-Novo Chinês’, que se inicia no primeiro dia em que a Lua está na fase nova. Este ano o início se dá no dia de hoje, quando começa o Ano do Boi (Búfalo) de Metal, que corresponde ao ano 4719 do calendário chinês, cujo término acontecerá em 31 de janeiro de 2022;
- Por fim, hoje é o ‘Dia Mundial do Casamento’.

Eu, nós e eles nas redes sociais
Você, leitor, que resiste bravamente às imposições digitais e prefere ter à mão o jornal ou livro de sua preferência (nem vou citar revistas, ok?) deve ter, em algum momento, sucumbido à pressão de ter o seu nome incluído em alguma rede social, tá certo?
E, certamente, já deve ter sido ofendido por alguém que não concorda com sua opinião pessoal, seja lá a respeito de que assunto for. Muitos acusam aqueles que dão sua opinião (não importando qual o assunto, insisto) de serem covardes ao defenderem suas posições, haja vista o fato de estarem longe do alcance de quem os critica, o que sugere certamente que certos acusadores já querem partir para o tudo ou nada, ou seja, para a agressão pessoal pura e simples!
Nem foi preciso o advento das redes sociais pra gente saber que uma das únicas certezas que temos na vida é que tudo uma hora vai mudar, não é? É. E para tentar, de alguma forma, ilustrar a tese que ora levantamos aqui no espaço, permito-me a liberdade de tratar da polarização que tomou conta de quase tudo hoje em dia (e parece que não é só no Brasil, não é? Aquela patacoada que foi vista nos EUA recentemente – a invasão do Capitólio – foi fruto, claro, de polarização agravada por seguidores do ex-presidente Donald Trump que os incentivou a um desatino cuja raiz está na não aceitação dos resultados da eleição para presidente naquele país).
E donde a polarização que vivemos hoje no Brasil? Arrisco-me a dizer que ela nasceu com a ascensão do PT ao poder. Foi Lula quem deu início à narrativa tola do ‘nós contra eles’. E agora é a vez do atual governo fazer o mesmo: “nós, os bolsonaristas, estamos contra eles, os petistas (ou ‘petralhas’)”. E por quê? Porque faz todo o sentido para os seguidores do presidente dizer que os petistas são os culpados por tudo de ruim que há hoje no Brasil: alguém poderá até não concordar (olha o palpite!) mas foi em razão fundamentalmente do antipetismo que o bolsonarismo chegou ao poder! E talvez por isso, como se tem visto, toda a narrativa bolsonarista seja em desfavor das esquerdas, do comunismo, socialismo (mas é de mentirinha) e outras bobagens com vistas à repetição do que ocorreu nas eleições de 2018. E talvez 2018 não se repita, não é?
Dito isto, façamos um exercício de futurologia: joguemos com a possibilidade do antipetismo se repetir nas eleições de 2022 e, mais ainda, com a possibilidade de haver também um antibolsonarismo muito forte e então termos um vencedor ao centro do espectro político!
Sigamos mais fundo em nosso exercício futurológico: suponhamos que o vencedor seja tão iluminado e exitoso quanto foi Itamar Franco, cujo governo deixou para o País um legado do qual poucos ainda se lembram, que foi o fim da hiperinflação – a chaga que assolou o Brasil por quase um século!
Em tempo: Itamar fez seu sucessor, FHC, que venceu Lula duas vezes, em primeiro turno...
Com um presidente como Itamar Franco, ou talvez melhor que ele ainda, esqueceremos todo o resto e aí cabe uma pergunta: o que será das narrativas e da polarização desmedida de hoje em dia?

Bom final de semana, leitor! Até segunda-feira, ok?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Memória

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, quinta-feira, dia 11 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia Mundial do Enfermo’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência’;
- A data também é de celebração do ‘Dia do Zelador’; e
- Os católicos comemoram hoje o ‘Dia de Nossa Senhora de Lourdes’.

Memória
- Nesta data, em 2013, alegando idade avançada, o papa Bento XVI, aos 85 anos, resolve renunciar ao cargo e oficializar sua decisão no 28 de fevereiro seguinte.
- Também nesta data, em 2019, morreu o jornalista Ricardo Boechat em um acidente de helicóptero. A FAB, através do CENIPA (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) informa - em relatório de 29 de outubro de 2020 - que a manutenção precária da aeronave e a indisciplina por parte do piloto, Ronaldo Quattrucci (ele não tinha autorização operacional), levaram à queda do helicóptero.

A realidade de Rodrigo Maia, cria do Centrão sempre raiz
Há uma hora em que o noticiário político, mesmo o mais pródigo na falação e análise, precisa confrontar-se com a realidade. E a realidade de Rodrigo Maia, ex-presidente da Câmara dos Deputados, é que ele é um parlamentar de apenas 74.232 votos. Esse foi o total obtido por ele no Rio de Janeiro, em 2018.
Na tradição oligárquica brasileira, ele foi catapultado pelo seu pai, Cesar Maia, que permaneceu por mais de uma década como titular da prefeitura do Rio de Janeiro. O pai não transmitiu nem um pouco do seu carisma a Rodrigo Maia. Mas o Botafogo da planilha da Odebrecht teve alguma escola: Cesar Maia foi condenado por improbidade administrativa e segue enrolado com a Justiça.
O pai de Rodrigo Maia é, ao menos, divertido. Certa feita, presenciei um cena protagonizada por Cesar Maia. Na qualidade de redator-chefe da Veja, eu tinha ido ao Rio de Janeiro para um almoço com o então prefeito. Na saída da prefeitura, então instalada no planetário da cidade (Rio de Janeiro…), deparamos com setoristas de rádios e jornais que precisavam entrevistá-lo sobre absolutamente nada. “Dá uma olhada no que vou fazer”, ele disse para mim, antes de dirigir-se ao grupo. “Prefeito, prefeito, o senhor pode dar uma palavrinha?”, perguntaram os setoristas, naquele vazio setorial de hábito. “Tenho uma declaração importante a dar”, declarou Cesar Maia, com pompa. Fez-se o silêncio. “Quero declarar que lutarei para transformar o Rio de Janeiro num principado. O principado da Guanabara. Será o Mônaco dos trópicos”, afirmou, sem corar. Afastado, caí na risada, enquanto os setoristas buscavam saber detalhes sobre o “novo projeto” de Cesar Maia.
Rodrigo Maia, por sua vez, não tem a menor graça, o menor carisma. Pelos sondáveis caminhos da política brasileira, viu-se alçado à presidência da Câmara, onde promoveu lambanças contra os interesses da nação, com votações noturnas para enterrar a luta anticorrupção no país e salvar a pele dele próprio e dos seus colegas de Parlamento. Com a eleição de Bolsonaro, ele assumiu o papel de defensor intransigente da democracia e grande promotor das reformas. Na verdade, ele só não transige com relação à Lava Jato e os seus protagonistas, que Botafogo odeia, e no que diz respeito aos interesses do pessoal da Faria Lima, que Botafogo ama.
O ex-presidente da Câmara é cria do Centrão sempre raiz, ao qual deu tanta força com as suas votações noturnas, que o Centrão sempre raiz cresceu e se tornou ainda mais frondoso, dando sombra a Bolsonaro, que agora lhe propicia fazer nascer frutos suculentos. Derrotado nas suas ambições de reeleger-se e, em seguida fazer o seu sucessor, Rodrigo Maia banca o bebê chorão, um dos seus papéis favoritos, diz-se traído, brigou com o seu grupo político (ele voltará às boas com a turma do DEM de um jeito ou de outro, não se preocupe, leitor) e, pelo que se publica, pode até ser fundador de um novo partido político, juntamente com Rodolfo Rodrigues (Randolfe, digo) e Luciano Huck. Que supostos partidários da Lava Jato possam a associar-se a Botafogo, um coronel da impunidade maquiado de modernidade (leia aqui a reportagem da Crusoé de outubro do ano passado, aberta para não assinantes), é outra prova de que novidade na política brasileira é ficção ruim. Só não é barata.
Nada disso importa, contudo. Rodrigo Maia é um parlamentar de apenas 74.232 votos e ouso prever que nunca subirá de patamar. Só terá chance de deixar de ser uma nulidade eleitoral, talvez, se Luciano Huck for candidato à presidência e lhe der uma mão em 2022.
Artigo do jornalista Mário Sabino publicado no site ‘O Antagonista’.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Ex-traficante supera passado na prisão e vira técnico da moda na Escócia

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, quarta-feira, dia 10 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia do Atleta Profissional’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Mundial das Leguminosas’: a data consta no calendário da ONU e visa conscientizar as pessoas dos benefícios de consumir leguminosas, grãos que não contém colesterol e são ricas em proteínas, ferro e potássio, além do que não têm glúten, por isso, seu consumo deve ser encorajado. Exemplos de leguminosas: feijão, soja, amendoim e ervilha.
- Nesta data, em 1980, foi criado em São Paulo o Partido dos Trabalhadores, o PT.

Ex-traficante supera passado na prisão e vira técnico da moda na Escócia
Onze vitórias e três empates nos primeiros 14 jogos de sua carreira, classificação para a final de uma Copa da Liga e uma ascensão que tirou o Livingston da zona de rebaixamento para fazê-lo sonhar com a classificação para uma competição europeia na próxima temporada.
Aos 46 anos, com apenas dois meses de experiência no comando de um time profissional de futebol e já uma longa série invicta no currículo, David Martindale já conseguiu se transformar no treinador da moda na Escócia.
Mas para mergulhar nessa nova carreira, ele precisou vencer uma batalha que parou o país.
Ex-auxiliar do Livingston, Martindale assumiu interinamente o cargo de técnico do time no final de novembro e passou dois meses sem saber se a SFA (Federação Escocesa de Futebol) lhe daria a licença de trabalho necessária para poder ser efetivado na função e trabalhar tranquilamente no esporte nacional.
O motivo do entrave é o seu passado. O treinador do momento na Escócia não tem ficha limpa na polícia. Muito pelo contrário: já foi condenado por envolvimento com o crime organizado, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Por isso, passou quatro anos trancado em uma penitenciária.
Ex-jogador frustrado das categorias de base do Rangers, um dos clubes mais poderosos do país, Martindale se aproximou de grupos criminosos de Glasgow depois que o bar que ele administrava pegou fogo.
Como o estabelecimento não tinha seguro, ele ficou com um prejuízo de 60 mil libras (R$ 443 mil, na cotação atual). Em dificuldades financeiras, viu na venda de drogas uma possibilidade de recuperar esse dinheiro, "sair do buraco" e ascender socialmente.
"Minha única motivação era ganhar dinheiro, ganância mesmo. Fui criado na periferia, em um conjunto de habitações populares. Lá, queremos nos tornar o cara que dirige uma BMW ou uma Land Rover, não o que vai de um trabalho para o outro e luta para conseguir pagar o aluguel", disse o treinador, em entrevista ao jornal inglês "Guardian".
Só que, em 2004, Martindale foi pego pela polícia. Dois anos depois, durante seu julgamento, declarou-se culpado e recebeu uma pena de seis anos e seis meses de prisão. E foi justamente essa experiência que o fez mudar de vida.
Com o direito de ir e vir cerceado, ele voltou a estudar e ingressou em um curso universitário de gerenciamento de projetos. Em 2010, quando deixou a prisão, foi contratado pela faculdade onde havia estudado graças a um projeto de reinserção social que a instituição possuía.
No mesmo período, voltou a se aproximar do futebol. Primeiro, atuando em uma liga amadora da Escócia. Depois, fazendo serviço voluntário em um clube também das divisões inferiores do país.
Quando chegou ao Livingston, Martindale era um autêntico "faz tudo": recolhia bolas e cones depois dos treinos, arrumava as cadeiras da sala de imprensa para receber os jornalistas e, de vez em quando, trocava ideias com o treinador da equipe.
Depois de fazer todos os cursos necessários para ser técnico, foi ganhando mais espaço dentro do clube. Em 2018, recebeu o primeiro convite para assumir o time, mas recusou por medo que o seu passado como presidiário "queimasse" a casa que havia lhe acolhido.
A segunda oportunidade surgiu no fim do ano passado. Depois da demissão de Gary Holt e com o time sofrendo para permanecer na elite escocesa, Martindale abraçou a missão para qual vinha se preparando e, já de cara, foi eleito o "treinador do mês" na competição.
O aval para seguir trabalhando veio no finalzinho de janeiro, quando a SFA decidiu que a ficha criminal do técnico não [seria] um empecilho para que ele pudesse comandar o Livingston.
Do repórter Rafael Reis, do UOL.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Como Bolsonaro pode virar e ganhar o jogo da vacina

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, terça-feira, dia 09 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia da Internet Segura’.

Como Bolsonaro pode virar e ganhar o jogo da vacina
A vacina do Brasil depende da boa vontade da China e da Índia. Ainda assim, não é descabido estimar que até meados de abril seja possível vacinar aqueles grupos de pessoas em que morrem 75% das vítimas de Covid-19 neste país.
Os adversários de Jair Bolsonaro deveriam prestar atenção nessa hipótese razoável, assim como deveriam moderar ilusões sobre uma catástrofe econômica que estaria para triturar o prestígio presidencial já em 2021.
Em primeiro lugar, as vacinas. Lá pela metade de abril, talvez tenha sido possível vacinar uns 38 milhões de pessoas, aquelas de 60 anos ou mais, pessoal da saúde e indígenas. É quase um quarto da população com mais de 18 anos.
A conta considera o limite inferior da produção do Butantan, o cronograma que a Fiocruz divulgou na sexta-feira (5), as doses já disponíveis e o 1,6 milhão de doses da Covax, chutando um desperdício de 5%, otimista. Podem vir mais doses: mais da Covax ou mais 28 milhões das vacinas russa e indiana que o governo diz negociar.
Se os insumos empacarem de novo na China, será mesmo um desastre. Pode ser também que abril esteja muito longe, revoltando os três quartos sem vacina até lá. No entanto, a perspectiva e o fato da redução do número de mortes devem causar alívio social e econômico. De resto, a vacinação continuará a partir de maio, quando 90% das vítimas potenciais da Covid podem estar imunizadas
O que se vai pensar desse copo de vacina (meio cheio ou vazio) depende da política de governo e da oposição. Bolsonaro sabotou a vacina, mas pode virar esse jogo com vacinação e propaganda em massa.
Na economia, o primeiro trimestre será de estagnação ou de ligeira retração. Haveria recuperação a partir de abril, a depender, claro, de vacinação e das variantes do vírus —ainda não sabemos quão pestilentas são, se vão se espalhar, se vão driblar as vacinas.
Por ora, a expectativa é de crescimento de 3,5% em 2021, o que, na prática, significa quase estagnação em relação ao trimestre final de 2020, mas melhora em relação à média do ano passado. Construção civil, agronegócio muito bem e reposição de estoques devem dar um tapa no desempenho do PIB. Sim, é tudo meio uma porcaria sem futuro, mas isso não quer dizer desastre imediato.
Nos últimos dias, se disse por aí que “o mercado” ficou animadinho com a vitória do centrão e a expectativa renovada de “reformas”. É uma bobice. A Bolsa está animada, embora nem tanto, por causa de juros baixos urbi et orbi, commodities em alta e vacinas. A expectativa básica da praça é que não derrubem o teto de gastos. O resto é meio lucro.
Algum resto deve vir. O centrão não quer apenas rapar cargos e emendas. Quer ampliar bancadas e ficar no poder depois de 2022. Pode jogar Bolsonaro do trem se a popularidade dele for para o vinagre, mas não deve explodir a Maria Fumaça dos ovos de ouro. Mas esse é assunto para outro dia.
Haverá mais miseráveis, mas um país selvagem como o Brasil pode não ligar muito para os caídos. Com 230 mil mortos de Covid e outros horrores, cerca de 60% do eleitorado acha que o governo é “ótimo/bom” ou “regular”. Além do mais, haverá algum novo auxílio emergencial. Um fator possível de desgaste de Bolsonaro pode ser a inflação da comida, que foi de mais de 20% em 2020 e ainda será o dobro da inflação média neste 2021.
Quem quiser, pois, pode achar que esse nosso copo sujo pode estar meio cheio. Para que se visse o vazio do nosso abismo, seria preciso haver oposição organizada. Não havia e, agora, talvez seja difícil até colar os caquinhos que sobraram.
Do jornalista Vinícius Torres Freire, mestre em administração pública pela Universidade Harvard (EUA).

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Memória

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, segunda-feira, dia 08 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia Internacional de Epilepsia’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia do Quadro do Magistério do Exército’.

Memória
Nesta data, em 2019, dez pessoas morreram e três ficaram feridas em um incêndio ocorrido no Centro de Treinamento de Futebol do Flamengo, conhecido como ‘Ninho do Urubu’, no Rio de Janeiro.

Fala que eu te escuto
Graças ao Boninho e a Deus, o Brasil, um país cristão, pouco a pouco vai voltando à normalidade. Uma terrorista de direita vai presidir a CCJ (a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal), um corrupto [se tornou] o presidente da Câmara e a Operação Lava Jato foi varrida para debaixo do tapete. Deus acima de todos e o Brasil abaixo da crítica.
Do jornalista Agamenon Mendes Pedreira para o site ‘O Antagonista’.

Fala que eu te escuto (2)
O Brasil não consegue proibir o cara de fumar crack, de cheirar pó e quer proibir alguém de ser imunizado com vacina russa? Será que uma vacina dessa é pior do que a doença? Não é. A Anvisa terá de ser investigada também pela demora na aprovação das vacinas e, principalmente, por ter montado aquele espetáculo mórbido no domingo da aprovação da Coronavac. As pessoas morrendo e cada um fazendo um discurso de uma hora, ao vivo, na televisão.
Do senador Omar Aziz (PSD-AM) a despeito da instalação (ou não) da CPI da Covid-19.

Rapidinha
“No nosso governo não tem caixa preta”.
Do presidente Jair Bolsonaro, em coletiva de imprensa na última sexta-feira, 05.
Comentário: para quem ordenou sigilo total a respeito dos gastos referentes aos cartões corporativos da presidência, a frase não faz o menor sentido. Lembra coisa de avestruzes, aquela ave cujo cérebro é menor que os olhos.

Republiqueta
A mais alta corte de justiça do Brasil, o STF, está se prestando ao desserviço de utilizar provas obtidas ILICITAMENTE para condenar um juiz por suspeição e dar ‘um julgamento justo’ a um condenado que foi sentenciado - por unanimidade - em três instâncias do Poder Judiciário. Inominável.

Uma sugestão ao Auxílio Emergencial
Quando o governo distribuiu os 200 bilhões de benefícios do auxílio emergencial, 45% dos R$ 600,00 por pessoa volta imediatamente como impostos de R$ 270,00. O que significa que o custo para o governo é na realidade de R$ 330,00 e não R$ 600,00 por beneficiado.
Preciso repetir? Não custa 200 bilhões.
Minha sugestão, como administrador, é que seja debitado como despesa da União o valor líquido, e assim impactaria menos o teto dos gastos.
Mas o que estão fazendo é contabilizar os 90 bilhões de impostos como Receita da União, Receita “adicional”, que os políticos acham que é para se gastar.
Minha solução seria colocar os impostos do auxílio emergencial pelo líquido, o que aliviaria o teto dos gastos, em vez de aumentá-los colocando-os como receitas de impostos.
Do consultor de empresas e guru brasileiro em administração, Stephen Kanitz.

Boa semana, leitor! Até amanhã.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

Brasil, Séc. XIX

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, sexta-feira, dia 05 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia do Datiloscopista’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Nacional da Mamografia’;
- A data também é de celebração do ‘Dia do Dermatologista’.

Brasil, Séc. XIX
     A senhora que aparece sorrindo na foto ao lado do atual presidente da Câmara em Brasília, o deputado Arthur Lira (PP-AL) é a também deputada federal Flordelis.
Nesta data ela completa 60 aninhos. Flordelis faz de tudo um pouco: é cantora gospel, pastora e também parlamentar.
A Polícia Civil do Rio de Janeiro não tem a menor dúvida e a acusou de ter planejado e ordenado matar o marido e também pastor Anderson do Carmo.
A foto não deixa ver, mas Flordelis está usando uma tornozeleira eletrônica. Chique, né?
O caso dela ainda não foi decidido no Conselho de Ética da Câmara. E aí, presidente Arthur Lira?

 

Foto a partir do site ‘Metrópoles’.

O que devemos esperar de 2021
O ano de 2020 foi doloroso. Um período dedicado ao enfrentamento de uma inesperada e devastadora pandemia, que exigiu respostas para a saúde e medidas econômicas céleres para atravessar um choque sem precedentes em quase um século. A longo dos meses, os governos aprenderam —alguns de maneira mais eficiente do que outros— a aperfeiçoar os estímulos destinados a salvar vidas, empregos e o tecido produtivo, com resultados palpáveis que mitigaram o estrago previsto quando tudo começou.
O Brasil, entretanto, não aproveitou a parte do segundo semestre que poderia ter sido utilizada para começar a endereçar os problemas mais urgentes do país. Adentramos 2021 sem nem sequer termos aprovado o Orçamento para o ano, consequência das disputas no Legislativo e da falta de interesse do Executivo. (...)
O Legislativo precisa recuperar o sopro de reformismo que experimentou durante o governo Temer e o início do governo Bolsonaro. O Executivo deve decidir se tem interesse e comprometimento com o futuro do país e com a agenda econômica apoiada abertamente apenas por parte do governo. (...)
À prioridade zero soma-se o enfrentamento definitivo da reforma do Estado para dar maior eficiência ao funcionamento da máquina pública e controlar o crescimento de suas despesas, além de atacar privilégios e penduricalhos de uma casta não eleita que se apropriou do poder.
Artigo do economista Antônio Delfim Netto, ex-ministro da Fazenda (1967-1974), na Folha.
Comentário: ainda está para nascer a pessoa pública que depois de Itamar Franco (1930-2011) haverá de colocar o Brasil no rumo certo. Como sabemos, do governo atual - terminado a 24 de abril de 2020 - não devemos esperar outra coisa que não a busca da reeleição a qualquer preço.

Bom final de semana, leitor! Até segunda-feira, ok?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
 Sorte e saúde sempre!

 

 

 

 

 

Congresso: 2019-2021: 2022!

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, quinta-feira, dia 04 de fevereiro de 2021, é celebrado o ‘Dia Mundial contra o Câncer’;
- Nesta data, em 2004, foi lançado o ‘Facebook’ e, em 2017, a então poderosa empresa decidiu criar o ‘Dia do Amigo do Facebook’.

Congresso: 2019-2021: 2022!
O resultado das eleições para as presidências do Senado e da Câmara não produziu nenhuma surpresa. Apenas reproduziu as eleições de 2018. O presidente do Senado, em 2019, foi escolha pessoal do presidente Bolsonaro, com intervenção pessoal e até presencial do ministro Onyx. A reeleição do presidente da Câmara em 2019 veio como desdobramento de seu fortalecimento junto à sociedade e que os deputados acompanharam. Seu poder de articulação vis a vis uma Câmara renovada e desestruturada, com deputados de pouca experiência parlamentar, em meio aos desdobramentos populistas de direita, abriu os caminhos para a reeleição do presidente da Câmara.
Os efeitos da pandemia no Congresso desarrumaram os partidos e imobilizaram as Comissões, onde os debates são muito mais orgânicos e relacionados com a opinião pública e a sociedade na tramitação dos projetos de lei. Com isso, o Executivo, por natureza centralizado, passou a ser o poder político articulado com as lideranças de clientela individuais e esparsas. O crescimento das pressões sobre o impeachment presidencial priorizou a articulação inorgânica entre Executivo e parlamentares individuais.
Os resultados das eleições municipais de 2020 assustaram o Executivo e os parlamentares eleitos em 2018 e senadores com final de mandato em 2022. Com isso, os deputados e senadores -em maioria significativa- passaram a se fixar nas suas reeleições em 2022, com a sensação de um enorme risco eleitoral. Com os estados e municípios em situação fiscal precária, a demanda dos deputados em busca de suas reeleições se dirigiu ao governo federal que os acolheu generosamente.
Quem imagina que as eleições para presidentes do Senado e da Câmara se relaciona com 2022, está redondamente enganado. A eleição de 2018 foi um ponto fora da curva. A eleição municipal de 2020 reordenou o quadro político nacional, e sinalizou para 2022, com uma renovação de fato do quadro de parlamentares e de governadores em relação a 2018. E tornou sem favorito a eleição presidencial.
Dessa forma, o parlamento de hoje e em especial as presidências do Senado e da Câmara nada terão a ver com 2022. No máximo, canalizarão as demandas dos deputados com vistas a reduzir seus riscos eleitorais evidentes, para 2022. A opinião pública eleitoral -em 2022 para as eleições Presidencial e Parlamentares- estará muito mais articulada com as eleições municipais de 2020.
Portanto, 2021 responde ao quadro eleito em 2018, à pandemia e seu desdobramento fiscal. A política de clientela, que voltou a crescer, tem agora uma enorme fragilidade pelas características pulverizadoras com que passaram a ocorrer vis a vis com um executivo federal em processo sustentado de desgaste e apavorado com o impeachment em debate crescente.
Por tudo isso, a leitura apressada das eleições recentes para as presidências do Senado e da Câmara, muito em breve mostrará seus equívocos. Quem sobreviver à pandemia verá.
Da newsletter de 03.02.2021 do 'Ex-Blog do Cesar Maia'.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Brasil, século XIX

Olá, leitor! Tudo bem?
- Hoje, quarta-feira, dia 03 de fevereiro de 2021, celebra-se o Dia da Navegação no Rio São Francisco, data em que foi inaugurada a navegação a vapor no rio São Francisco, o que aconteceu em 1871.
Conhecido como o ‘rio da unidade nacional’, ou popularmente “Velho Chico”, o São Francisco é um dos principais rios do Brasil.
Comentário: o rio São Francisco é só um dentre milhares de rios Brasil afora que estão morrendo. E as autoridades públicas nos três níveis –municipal, estadual e federal– e privadas (ONGs) nada fazem!

Brasil, século XIX
Deu no blog do Lauro Jardim (O Globo): Os novos presidentes da Câmara e do Senado vão gerir orçamentos que, juntos, têm receita maior do que 99,9% dos municípios brasileiros.
Apenas São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte tiveram mais dinheiro para gastar em 2019 do que os R$ 11,1 bilhões previstos para as duas Casas na Proposta de Lei Orçamentária, ainda pendente de votação no Congresso.
O levantamento foi feito com base em dados do Tesouro. Os números mais atualizados referentes aos municípios são de 2019 e foram corrigidos pela inflação.
A Câmara deve ter um orçamento de R$ 6,4 bilhões este ano. Em 2019, apenas nove das 5.570 cidades do país tiveram valor maior. Já para o Senado, a previsão é de R$ 4,7 bilhões.
Apenas 13 municípios tiveram mais reais para suas despesas e investimentos. Nas duas Casas, o grosso das despesas é com pessoal. Na primeira, R$ 5,1 bilhões. Na segunda, R$ 3,8 bilhões.

Brasil, século XIX (2)
O leitor talvez não saiba: os R$ 11,1 bilhões destinados ao Congresso Nacional não levam em conta os mais de R$ 3 bilhões do Fundo Eleitoral (R$ 2 bilhões) e do Fundo Partidário (R$ 1 bilhão), ‘tá ok’?
E também não consideram as emenda$ parlamentare$ (atenção: é tudo legal, isto é, dentro da lei) que foram tão utilizadas em janeiro próximo passado (notícias que chegam dão conta de que ‘nunca antes na história deste País’ se liberou tantos recursos para as emenda$ parlamentare$).
Mas, vamos combinar que ninguém é de ferro, tá certo?

Brasil, século XIX (3)
Percebe, leitor, o quão importantes são as reformas estruturantes para a vida do País? Mas é claro que percebemos e sabemos! E então, quando se olha para as agendas de Arthur Lira (PP-AL) e de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) – os agora presidentes da Câmara Federal e do Senado – vamos perceber também que nelas (as agendas) não há qualquer menção de projetos com vistas a mudar tal estado de coisas.
É desanimador, vergonhoso e ao mesmo tempo inaceitável.

E tem jeito?
Claro que tem. E a solução não está no Governo Federal, nos governos estaduais ou municipais. O que precisamos fazer, em primeiro lugar, é REFORMAR o sistema político brasileiro, que já deu o que tinha que dar, que se tornou obsoleto, arcaico, caríssimo e perigosamente disfuncional.
Muito se diz que ‘o brasileiro não sabe votar’. Há ‘gente bonita, elegante e sincera’ repetindo toda hora na grande mídia que ‘precisamos escolher melhor em quem votar’.
Detalhe: no Brasil em particular e no mundo em geral, sair para votar ou para comprar roupas são atos muitíssimo parecidos. Porque alguém já terá escolhido os candidatos nos quais nós vamos votar, assim como alguém já terá escolhido nas lojas as roupas que iremos escolher para comprar.
E daí? Daí que precisamos participar massivamente dos partidos políticos se queremos evitar que gente despreparada, ressentida e malfeitora cuide de nossos destinos. É nos partidos que tudo começa!

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!